Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX

O Bee Card é um cartão de armazenamento de informação produzido ainda nos anos 80 pela japonesa Hudson Soft como forma de distribuição de software para os computadores da linha MSX. Ele tem dimensões de 8,5 cm x 5,5 cm, similares às de um cartão de crédito. Para usá-lo, é necessário ter um cartucho Bee Pack, que o usuário deve conectar em um slot do MSX. O Bee Card, por sua vez, é inserido no Bee Pack. Depois disso é só ligar o micro, e o jogo (ou programa) aparece na tela.

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Nas fotos estão o Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e o cartucho Bee Pack. Sempre gostei muito de cartões como forma de armazenamento de jogos, talvez por eles nunca terem existido oficialmente por aqui (mas eram extremamente populares no Japão). Quem viveu nessa época sabe que os meios de armazenamento que mais usávamos em micros domésticos e consoles clássicos eram fitas cassetes, disquetes e cartuchos.

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Além do MSX, consoles como Master System e PC Engine também tinham seus próprios cartões, e acho todos lindos. Inclusive, os famosos HuCards, os cartões do PC Engine, nasceram de uma colab entre Hudson SoftNEC (fabricante do PC Engine). Os HuCards são uma versão levemente mais fina dos Bee Cards.

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Apenas cerca de dez jogos e aplicativos foram lançados no formato Bee Card, incluindo um da Konami (Pooyan), o que não quer dizer que sejá fácil ou barato colecioná-los. Destaque para o logo da Hudson Soft no Bee Pack e no Bee Card. Sua abelhinha é nostálgica. Se tem logo da Hudson com abelhinha, eu curto.

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Bee Card do jogo Baseball Craze (Hudson Soft, 1984) e Bee Pack para MSX | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996)

Eis um item da minha coleção de enciclopédias interativas e CD-ROMs educativos de PC. A Infopedia 2.0 foi lançada em 1996 pela SoftKey, consagrada editora e distribuidora de CD-ROMs para Windows e Macintosh que teve seu auge em meados dos anos 90. Dentre os CD-ROMs educativos da Era de Ouro do PC multimídia, os da SoftKey estão entre os que acho mais nostálgicos.

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

A enciclopédia traz nada menos que 200 mil registros, incluindo mais de cinco mil fotos, mais de 450 áudios e mais de 150 vídeos e animações, dentre outros informativos como mapas e gráficos. Compreende informações de diversas fontes, entre elas Hammond World Atlas e o dicionário Merriam-Webster. Seu subtítulo na capa dizia “The Ultimate Multimedia Encyclopedia and Reference Library” (“A Biblioteca de Referência e Enciclopédia Multimídia Definitiva”). Fez frente ao Encarta da Microsoft na época.

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Para rodar a Infopedia 2.0, era preciso ter pelo menos um 486SX com 8MB de memória RAM e Windows 3.1 (ou Windows 95).

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997)

Também encontrado em uma feira de antiguidades aqui no Rio no mesmo dia em que encontrei o Total War, esse Star Trek: Starfleet Academy veio com encarte e com seus cinco CDs. Um belo encarte, por sinal, ainda carregando um pouco da estética dos anos 90. Essa é a versão original em inglês. Destaque para o logotipo da Interplay, sempre nostálgico.

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Em Starfleet Academy, o jogador assume o papel de um cadete na Academia da Frota Estelar (Starfleet Academy) que recebe aulas a fim de aprender o básico para comandar uma nave. Uma coisa bacana é que o jogo traz vídeos interativos estrelando personagens como Kirk e Sulu.

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Esse jogo não foi exclusividade do PC, tendo também versão para Macintosh, e em 1998 saiu uma versão em DVD-ROM.

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Medieval: Total War Gold para PC (Activision, 2002)

Fala, pessoal! Recentemente consegui esse Medieval: Total War Gold Edition para PC em uma feirinha de antiguidades aqui no Rio. Ele estava assim mesmo, na caixa original e completo, com dois CDs, manual e o CD da expansão Viking Invasion. Essa é a versão lançada aqui no Brasil.

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

O Medieval: Total War foi desenvolvido pela The Creative Assembly e lançado pela Activision em 2002. O jogo, o segundo da série Total War, é do tipo estratégia em tempo real e é ambientado na Idade Média. CNão poderia deixá-lo para trás, ainda mais como fã das clássicas big boxes de papel (que começaram a deixar de existir mais ou menos nessa época, no início dos anos 2000. Hoje em dia vemos mais os jogos sendo lançados em caixas similares às do padrão DVD).

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992)

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Mais um minigame da fabricante americana Tiger Electronics. Dessa vez é o Pinball (modelo 75-007), de 1992. Sim, ele foi lançado somente com esse nome e pertence a uma linha chamada Electronic Game, que tem como características dois grandes botões redondos para ação nos jogos.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

A carcaça, reaproveitada, ainda aponta o ano de 1991.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Esse Pinball funciona com apenas uma bateria do tipo LR44 (ou AG13). Uma coisa que gosto nele é da arte no adesivo frontal, bem colorida, com brilho na bola etc.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Microcomputador CP 400 Color II (Prológica, 1984)

Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Fala, pessoal! Esse é meu CP 400 Color II. O CP 400 foi um microcomputador de 8 bits produzido pela Prológica em 1984. Ele é baseado no clássico micro TRS-80 Color Computer (ou “CoCo”), lançado pela RadioShack em 1980. O modelo antecessor, CP 400 Color I, foi lançado no Natal de 1983 e tinha teclas bem menores.

Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Esse micro me traz uma lembrança muito especial, de quando eu visitava, ainda nos 80, uma softhouse carioca chamada Spada Soft (da qual me tornei amigo do dono depois). Uma das coisas que eu gostava nessa softhouse é que ela trabalhava com jogos e aplicativos para várias plataformas (não era só focada no MSX ou no Commodore Amiga, como víamos muito). E entre os micros que eu via por lá estavam um MSX Expert da Gradiente (que foi o MSX que eu tive quando criança), um TK-90X e um CP 400 Color II (que na época muitos usuários chamavam apenas de Color).

Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Esse CP 400 está em excelente estado e funcionando perfeitamente, e faz parte do meu acervo.

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.