Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS

Voyeur está na categoria de jogo-filme interativo. Lançado pela Philips Interactive em 1993 primeiramente para o Philips CD-i, o game ganhou em 1994 uma versão para MS-DOS pelas mãos da Interplay (essa que aparece na foto, que eu adquiri em uma feirinha de antiguidades) e uma para Mac pelas mãos da MacPlay.

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Em Voyeur o jogador assume o papel de um detetive particular contratado para encontrar provas que possam derrubar o corrupto Reed Hawke, interpretado no jogo pelo ator e roteirista americano Robert Culp (que faleceu em março de 2010).

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Na época o jogo se destacou pelos trechos de vídeo, que davam grande realismo ao jogo, e pelo conteúdo adulto, que incluía cenas bem picantes. É belíssimo também em termos de produto, com uma capa e com um encarte muito bem trabalhados.

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur (Interplay, 1994) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Voyeur faz parte da Era de Ouro da Multimídia no PC, período que eu simplesmente amo, quando havia muitas descobertas e experimentações em termos de entretenimento multimídia e de jogos interativos. O vídeo abaixo mostra o que estou tentando dizer.

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Outpost (Sierra, 1994) para DOS e Windows 3.1

Outpost é um jogo de simulação de construção e gerenciamento (com uma bela pitada de ficção científica) lançado em 1994 pela Sierra On-Line para DOS e Windows 3.1 (e posteriormente, ainda no mesmo ano, para o Macintosh). Este é o CD-ROM original em inglês.

Outpost (Sierra On-Line, 1994) para DOS e Windows 3.1 | MARIO CAVALCANTI

O jogo tem perspectiva isométrica e nele o jogador está no controle de uma missão de colonização em um planeta, visto que a vida na Terra está perto da extinção devido a ameaça de um asteroide. Reza a lenda que um ex-cientista da NASA fez parte do time de game design de Outpost. O título teve uma continuação, chamada de Outpost 2: Divided Destiny.

Outpost (Sierra On-Line, 1994) para DOS e Windows 3.1 | MARIO CAVALCANTI

Outpost (Sierra On-Line, 1994) para DOS e Windows 3.1 | MARIO CAVALCANTI

Um jogo que é fruto de mais uma grande softhouse que fez sucesso entre micros domésticos dos anos 80 e nos PCs nos anos 90. Destaque para o encarte do CD. Gosto muito da arte.

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco / Tengen, 1989)

Foi no fliperama, ainda em meados dos anos 80, que primeiro conheci o clássico Rolling Thunder e sua divertida jogabilidade. Depois, nos tempos áureos do Nintendinho, já no final da década, tive o prazer de conhecer a bela conversão. Não tive o jogo na época, só o joguei alugado em locadoras de games.

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

O cartucho da foto, de 72 pinos e lançado pela Gradiente, encontrei em 2017 em uma feirinha de antiguidade do Rio de Janeiro, e estava assim, com caixa e manual. Destaque para a bela arte presente no manual e no label, que abrilhantou mais ainda o cartucho e ilustra o velho enredo do herói salvando a mocinha.

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

Cartucho Rolling Thunder da Gradiente para NES (Namco, 1989) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Xenon em cassete para o Commodore 64 (Mastertronic, 1990)

Meu gosto por Xenon começou ainda nos anos 80, quando conheci o port do ZX Spectrum para o MSX. O que eu achava fantástico, no entanto, não era seu gráfico (monocromático, mas bonito), muito menos sua jogabilidade (como em outros ports, era lenta), e sim sua música, que ainda hoje acho legal. A partir da revista inglesa Crash, pude ver como era o Xenon de outros micros da época, como Commodore 64, Atari ST e Amiga.

Xenon em fita cassete para o Commodore 64 (Mastertronic, 1990) | MARIO CAVALCANTI

Xenon em fita cassete para o Commodore 64 (Mastertronic, 1990) | MARIO CAVALCANTI

Para quem não conhece, o Xenon é um shmup desenvolvido originalmente em 1988 para o Atari ST pela The Bitmap Brothers e lançado pela editora/distribuidora australiana Melbourne House, que posteriormente foi comprada pela Mastertronic. Essa fita cassete do Xenon para o C64 foi trazida de Londres por um amigo há cerca de cinco anos, e custou apenas duas libras na época. Ela é de 1990 e faz parte da coletânea Mastertronic Plus (ou M Plus).

Xenon em fita cassete para o Commodore 64 (Mastertronic, 1990) | MARIO CAVALCANTI

Curiosamente, das capturas de tela que aparecem no verso do encarte, apenas a primeira é da versão do C64. As outras duas são de versões 16-bit (Atari ST ou Commodore Amiga). E isso fica mais evidente ainda por conta da mensagem no verso: “Screenshots may be taken from a different version” (“Capturas de tela podem ter sido tiradas de uma versão diferente”). Uma prática comum nesse período dos home computers era justamente mostrar um gráfico mais avançado para deixar o usuário/consumidor mais empolgado.

Xenon em fita cassete para o Commodore 64 (Mastertronic, 1990) | MARIO CAVALCANTI

Xenon em fita cassete para o Commodore 64 (Mastertronic, 1990) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996)

Eis um item da minha coleção de enciclopédias interativas e CD-ROMs educativos de PC. A Infopedia 2.0 foi lançada em 1996 pela SoftKey, consagrada editora e distribuidora de CD-ROMs para Windows e Macintosh que teve seu auge em meados dos anos 90. Dentre os CD-ROMs educativos da Era de Ouro do PC multimídia, os da SoftKey estão entre os que acho mais nostálgicos.

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

A enciclopédia traz nada menos que 200 mil registros, incluindo mais de cinco mil fotos, mais de 450 áudios e mais de 150 vídeos e animações, dentre outros informativos como mapas e gráficos. Compreende informações de diversas fontes, entre elas Hammond World Atlas e o dicionário Merriam-Webster. Seu subtítulo na capa dizia “The Ultimate Multimedia Encyclopedia and Reference Library” (“A Biblioteca de Referência e Enciclopédia Multimídia Definitiva”). Fez frente ao Encarta da Microsoft na época.

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Para rodar a Infopedia 2.0, era preciso ter pelo menos um 486SX com 8MB de memória RAM e Windows 3.1 (ou Windows 95).

Infopedia 2.0 (SoftKey Multimedia, 1996) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997)

Também encontrado em uma feira de antiguidades aqui no Rio no mesmo dia em que encontrei o Total War, esse Star Trek: Starfleet Academy veio com encarte e com seus cinco CDs. Um belo encarte, por sinal, ainda carregando um pouco da estética dos anos 90. Essa é a versão original em inglês. Destaque para o logotipo da Interplay, sempre nostálgico.

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Em Starfleet Academy, o jogador assume o papel de um cadete na Academia da Frota Estelar (Starfleet Academy) que recebe aulas a fim de aprender o básico para comandar uma nave. Uma coisa bacana é que o jogo traz vídeos interativos estrelando personagens como Kirk e Sulu.

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Star Trek: Starfleet Academy para PC (Interplay, 1997) | MARIO CAVALCANTI

Esse jogo não foi exclusividade do PC, tendo também versão para Macintosh, e em 1998 saiu uma versão em DVD-ROM.

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Medieval: Total War Gold para PC (Activision, 2002)

Fala, pessoal! Recentemente consegui esse Medieval: Total War Gold Edition para PC em uma feirinha de antiguidades aqui no Rio. Ele estava assim mesmo, na caixa original e completo, com dois CDs, manual e o CD da expansão Viking Invasion. Essa é a versão lançada aqui no Brasil.

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

O Medieval: Total War foi desenvolvido pela The Creative Assembly e lançado pela Activision em 2002. O jogo, o segundo da série Total War, é do tipo estratégia em tempo real e é ambientado na Idade Média. CNão poderia deixá-lo para trás, ainda mais como fã das clássicas big boxes de papel (que começaram a deixar de existir mais ou menos nessa época, no início dos anos 2000. Hoje em dia vemos mais os jogos sendo lançados em caixas similares às do padrão DVD).

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Medieval: Total War para PC (Activision, 2002) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992)

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Mais um minigame da fabricante americana Tiger Electronics. Dessa vez é o Pinball (modelo 75-007), de 1992. Sim, ele foi lançado somente com esse nome e pertence a uma linha chamada Electronic Game, que tem como características dois grandes botões redondos para ação nos jogos.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

A carcaça, reaproveitada, ainda aponta o ano de 1991.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Esse Pinball funciona com apenas uma bateria do tipo LR44 (ou AG13). Uma coisa que gosto nele é da arte no adesivo frontal, bem colorida, com brilho na bola etc.

Minigame Pinball (Tiger Electronics, 1992) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Microcomputador CP 400 Color II (Prológica, 1984)

Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Fala, pessoal! Esse é meu CP 400 Color II. O CP 400 foi um microcomputador de 8 bits produzido pela Prológica em 1984. Ele é baseado no clássico micro TRS-80 Color Computer (ou “CoCo”), lançado pela RadioShack em 1980. O modelo antecessor, CP 400 Color I, foi lançado no Natal de 1983 e tinha teclas bem menores.

Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Esse micro me traz uma lembrança muito especial, de quando eu visitava, ainda nos 80, uma softhouse carioca chamada Spada Soft (da qual me tornei amigo do dono depois). Uma das coisas que eu gostava nessa softhouse é que ela trabalhava com jogos e aplicativos para várias plataformas (não era só focada no MSX ou no Commodore Amiga, como víamos muito). E entre os micros que eu via por lá estavam um MSX Expert da Gradiente (que foi o MSX que eu tive quando criança), um TK-90X e um CP 400 Color II (que na época muitos usuários chamavam apenas de Color).

Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI Acervo pessoal: CP-400 Color II (Prológica, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Esse CP 400 está em excelente estado e funcionando perfeitamente, e faz parte do meu acervo.

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.

Minigame Electronic Bowling (Tiger Electronics, 1987)

 

Minigame Electronic Bowling (Tiger Electronics, 1987) | MARIO CAVALCANTI

O Electronic Bowling (Modelo 7-745) é um minigame de boliche com tela de LCD.

Minigame Electronic Bowling (Tiger Electronics, 1987) | MARIO CAVALCANTI

Lançado pela fabricante americana Tiger Electronics em 1987, funciona com duas pilhas AA.

Minigame Electronic Bowling (Tiger Electronics, 1987) | MARIO CAVALCANTI

Uma característica interessante é que ele é para dois jogadores (alternadamente). Faz parte da minha coleção de minigames e handhelds.

Minigame Electronic Bowling (Tiger Electronics, 1987) | MARIO CAVALCANTI

Carioca, empreendedor e jornalista de games e de tecnologia. Escreve para publicações especializadas em games clássicos, é proprietário da loja virtual Retro Mall e editor da revista Clube MSX. Aqui no blog fala principalmente sobre itens do seu acervo de games, consoles e micros.