Jogos 80 e Espectro na loja virtual da Clube MSX

A partir deste mês de junho, a Clube MSX passou a ficar responsável também pela logística de venda e de envio das revistas Jogos 80 e Espectro. Com isso, já estão disponíveis na loja virtual da Clube MSX a Espectro #4 e a Jogos 80 nº 23, as mais novas edições de ambas as publicações, além da Clube MSX #9, cujo início da pré-venda abordei no post anterior.

Editada por Marcus Garrett e Eduardo Luccas, a Jogos 80 é uma revista semestral voltada para os entusiastas de videogames e microcomputadores clássicos. Sua nova edição, de nº 23, trará como brinde um novo lote de cards colecionáveis da coleção “Videogames do Brasil”. Preço de capa: R$ 29,90.

Já a Espectro é uma publicação luso-brasileira dedicada ao ZX Spectrum. Lançada em 2017, a revista fez uma pausa no início de 2019 para reformulação e retorna agora com seu quarto número e nova periodicidade quadrimestral. Preço de capa: R$ 24,90.

Para mim é um prazer fazer parte de ambas as publicações. Assim que eu estiver com elas em mãos, postarei fotos aqui no blog.

ESPECIFICAÇÕES DAS REVISTAS:

Jogos 80 nº 23
Número de páginas: 48
Ano: 2020
Período: Julho
Idioma: Português
Formato: Impresso
Dimensões: 21 cm x 29,7 cm
Preço de capa: R$ 29,90

Espectro #4
Número de páginas: 40
Ano: 2020
Período: Janeiro-Abril
Idioma: Português
Formato: Impresso
Dimensões: 21 cm x 29,7 cm
Preço de capa: R$ 24,90

Clube MSX #9
Número de páginas: 40
Ano: 2020
Período: Abril-Junho
Idioma: Português
Formato: Impresso
Dimensões: 20,5 cm x 27,5 cm
ISSN: 2595-1076
Preço normal de capa: R$ 24,90

Revista Clube MSX #9 em pré-venda

A revista Clube MSX inicou na quarta-feira (10/06) a pré-venda online de sua nona edição. Exemplares já podem ser adquiridos na loja virtual pelo valor promocional de R$ 21,90 mais despesas de envio. A pré-venda vai até o próximo dia 17 de junho.

ATRAÇÕES DA NONA EDIÇÃO

Entre os atrativos da Clube MSX #9 estão uma entrevista com Renato Degiovani, autor de Amazônia, Graphos III e outros; o review do jogo Uchūsen Gamma; uma matéria sobre jogos de xadrez no MSX; a última parte do guia do MSX-DOS; um review sobre o utilitário MSX Diagnostics; mini reviews dos jogos Numberman, Subcommander e outros; uma matéria ensinando a construir fractais no BASIC para MSX1 e MSX2, e mais.

A revista trará como brindes um mapa do jogo Mag the Magician (analisado na Clube MSX #8) e um adesivo couché preto com o logo do MSX estilizado e na cor branca. Para comprar a Clube MSX #9, clique aqui.

ESPECIFICAÇÕES DA REVISTA:

Clube MSX nº 9
Número de páginas:
40
Ano: 2020
Período: Abril-Junho
Idioma: Português
Formato: Impresso
Dimensões: 20,5 cm x 27,5 cm
ISSN: 2595-1076
Preço normal de capa: R$ 24,90 + frete
Preço promocional: R$ 21,90 + frete (até 17/06/2020)

Capa da revista Clube MSX #9

A Clube MSX é uma revista impressa brasileira, de periodicidade trimestral, sobre o padrão MSX de microcomputadores. Para adquirir as edições anteriores, visite a loja virtual da publicação.

Submarine Battle (Casio CG-330, 1985)

Recentemente consegui um Submarine Battle (Casio CG-330) completo, funcionando e em excelente estado de conservação.

Submarine Battle (Casio CG-330) | MARIO CAVALCANTI

Ele e o Western Bar (CG-300) são os minigames da Casio mais nostálgicos para mim, pois brinquei muito com os dois quando criança. O Submarine Battle foi lançado em 1985.

Submarine Battle (Casio CG-330) | MARIO CAVALCANTI
Submarine Battle (Casio CG-330) | MARIO CAVALCANTI
Submarine Battle (Casio CG-330) | MARIO CAVALCANTI
Submarine Battle (Casio CG-330) | MARIO CAVALCANTI

Mais um para o acervo de minigames, handhelds, tabletops e afins.

Planeta MS-DOS: novo blog dedicado ao MS-DOS

Os amigos portugueses Filipe Veiga, Pedro Pimenta e Ricardo Lé lançaram no último dia 1º de setembro o Planeta MS-DOS, um blog dedicado ao (adivinhem?) MS-DOS. E eles já irão participar em novembro da Inércia Demoparty, evento da demoscene portuguesa. O Planeta MS-DOS é o irmão mais novo (ou um spin-off) do igualmente lusitano – e extremamente reconhecido e competente – Planeta Sinclair (que é capitaneado por André Luna Leão).

O que esperar do novo blog? Curiosidades e informações sobre revistas, livros, software e hardware da época, bem como novos projetos. “Traremos informações exclusivas acerca do que se fez em terras lusas e iremos preservar e divulgar revistas, documentação e, claro, M.I.A. – software que se sabe existir, mas que se desconhece o seu paradeiro, esperando assim mostrar que não é só nos anos 80 que Portugal tem história. Mais ainda, vamos divulgar todo o tipo de notícias relacionadas com novos projetos para MS-DOS, quer sejam aplicativos ou jogos, falar sobre o hardware, entre muitas outras surpresas”, diz o post de boas vindas.

Como amante do rico período do auge do MS-DOS (eles sabem que adoro coletâneas de sharewares e freewares, e conhecem parte do meu acervo), desejo todo sucesso do mundo à malta do Planeta MS-DOS!

Countdown King (Clube MSX, 2019) para MSX 1

Teste seus reflexos e faça apostas com amigos! Countdown King, novo minijogo de MSX 1 que desenvolvi para ser lançado simultaneamente com a Clube MSX #4, já está disponível para download gratuito no FTP da revista. Nele, você está no papel de um aspirante ao trono real e seu objetivo é parar um temporizador na hora certa para provar a todos que você é o Rei da Contagem Regressiva.

Countdown King (Clube MSX, 2019) para MSX 1 | MARIO CAVALCANTI

A única tecla utilizada durante todo o game é a barra de espaços, que serve para iniciar um novo jogo, interromper o temporizador e retornar à tela inicial em caso de sucesso ou de fracasso.

Countdown King (Clube MSX, 2019) para MSX 1 | MARIO CAVALCANTI

Countdown King aparece na página 5 da revista Clube MSX #4 e é o terceiro título distribuído pela Clube MSX, depois de The Grid e The 4 Masters of Melody.

Baixar jogo
Jogue online

Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984)

Já falei aqui no blog ou em algum vídeo que meu primeiro micro foi o MC-1000, da CCE. Logo em seguida, ganhei um MSX Expert, da Gradiente. Foi com eles que tive minhas primeiras experiências com programação. Foi no MC-1000, inclusive, que digitei minhas primeiras linhas de código. Encontrei semana passada em um sebo no Santana, bairro da Zona Norte de São Paulo, este que foi nada menos que o primeiro “livro” de programação que comprei (sem contar os manuais de BASIC que acompanhavam o MC-1000 e o MSX). Livro entre aspas, pois trata-se, na verdade, de um livreto de dezesseis páginas com listagens de jogos textuais em BASIC. Jogos esses, como podem observar, com a temática de terror.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Como na época eu era um pré-adolescente, obviamente fui fisgado pela impactante capa de Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984). Qual jovem apaixonado por micros e games naquela época, em meados dos anos 80, não seria atraído por uma capa assim? Os jogos do livro eram simples, textuais mesmo, como os primeiros adventure games, e, assim como os títulos da época, uma boa ilustração de capa (vide os encartes das produções para Atari 2600 e Odyssey) compensava a simplicidade visual dos jogos e mexia com a nossa imaginação.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI
Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Uma das coisas que mais gosto nesse livro é que ele é, digamos, multiplataforma. As listagens contidas nele são compatíveis com micros (nacionais ou importados) das linhas ZX Spectrum, TRS-80, TRS-80 Color, Apple, MSX, PC, Commodore 64 e VIC-20.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Como explica a introdução do livro, “a listagem principal de cada programa é para os micros da família TRS-80. As linhas que precisam ser mudadas para que funcione em outros computadores foram indicadas por símbolos, e as respectivas modificações aparecem no final de cada listagem”.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Para completar, a obra traz ilustrações de terror baseadas nos temas de cada jogo, além de exibir em diversas páginas uma figura simpática — um esqueleto de gravata borboleta — que dá dicas e faz perguntas para atiçar a curiosidade do leitor.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI
Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Apesar de este livro já estar disponível no Datassette em versão PDF, não pude deixar de levar este exemplar, que se encontra em muito bom estado. Depois de tantos anos, o sentimento foi de profunda nostalgia.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Em tempo: a mesma editora lançou outros livretos da mesma coleção: Programas de Jogos de Horror (aparentemente com o mesmo tipo de conteúdo do livreto que comento neste post) e Programas de Jogos de Espionagem.

Livro Programas de Jogos de Terror (Editora Lutécia, 1984) | MARIO CAVALCANTI

Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS

Blue Force é um jogo adventure do tipo point-and-click para MS-DOS. Lançado em 1993 pela Tsunami Games, o jogo é do gênero policial e é de autoria do game designer e ex-policial norte-americano Jim Walls (que também participou da criação de alguns dos jogos da série Police Quest).

Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Esse CD-ROM original do Blue Force faz parte do meu acervo pessoal, e é um dos CDs de PC mais antigos que tenho. O jogo também foi lançado em disquetes de 3.5 polegadas. Como já mencionado, é de 1993, e faz parte de uma época gostosa em que os jogos multimídia ainda estavam se descobrindo. Na capa do encarte, vemos o selo que indica que o jogo é para MS-DOS e para monitores VGA. É da época também em que o Windows 3.11 já estava em evidência, mas os jogos para DOS ainda bombavam.

Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

No jogo, que se passa no ano de 1995 (dois anos após o lançamento do jogo), estamos na pele do policial novato Jake Ryan, que decide reunir pistas para dar continuidade à investigação do assassinato de seu pai (também policial), ocorrido em 1984.

Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI
Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Apesar de em 1996 a Computer Gaming World ter listado o Blue Force como o 37° pior jogo de computador já lançado, gosto muito desse título. Tem uma boa música de fundo (para dar o clima), falas durante o jogo e belos gráficos para a época.

Blue Force (Tsunami Games, 1993) para MS-DOS | MARIO CAVALCANTI

Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX

Uma das minhas mais recentes aquisições: cartucho do Prisoner of War (Unepic Fran, 2018), novo game espanhol para MSX. Do gênero ação/stealth e dos mesmos criadores de Ghost, o jogo já está sendo apontado como um Metal Gear de MSX 1. E as referências são claras, incluindo a proposta do jogo, as músicas e até o famoso ponto de exclamação que representa o inimigo dando o alerta. Compartilho abaixo algumas fotos e telas do game.

Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI

Como comprei o jogo ainda na pré-venda, no final ano passado, recebi dois brindes personalizados bem legais: uma dog tag e um manual que menciona meu nome como sendo um herói de guerra. Um belo plus!

Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI
Prisoner of War (Unepic Fran, 2018) para MSX | MARIO CAVALCANTI

Outra coisa bacana é que o jogo está disponível em duas versões: em inglês (Prisoner of War) e em espanhol (Prisionero de Guerra). Um review completo dele estará na próxima edição da revista Clube MSX.