9 de outubro de 2017

Trocando baterias em action figures e acessórios

Fala, pessoal! Ao lado de retrocomputadores e de videogames clássicos, outra coisa que gosto muito são action figures, incluindo as que possuem partes eletrônicas, partes estas que podem vir a precisar de manutenção algum dia.

Existe uma infinidade de figuras de ação, acessórios e veículos que emitem som e/ou luz, e que, por isso, utilizam algum tipo de fonte de energia. Geralmente essas fontes de energia são pilhas ou baterias. O mesmo serve para carrinhos de controle remoto, alguns robôs, discos voadores etc.

Muitas vezes os donos deixam esses brinquedos de lado achando simplesmente que eles estragaram. Provavelmente você já ouviu alguém dizer algo como “a luz não acende mais; não sai mais som; parou de funcionar”, certo? Na maioria das vezes, esse “parou de funcionar” está relacionado à uma bateria que precisa ser trocada.

Veja abaixo esse rápido tutorial que fiz para mostrar uma simples troca de bateria em um acessório. Minha ideia é dar uma pequena luz (sem trocadilhos) aos leigos no assunto. Manutenção também faz parte da diversão! Tanto para action figures como para computadores, cartuchos e videogames antigos.

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Note que essa pequena lanterna utiliza parafusos do tipo triangular, muito comum em diversos brinquedos (em brindes do McDonald’s, por exemplo) e também em alguns cartuchos de videogame. Para abrir esse acessório em especial, utilizei uma chave de precisão triangular. Esse mesmo tipo de chave está disponível em outros tamanhos, assim como acontece com chaves de fenda, chaves de philips etc. E se você gosta tanto quanto eu de brinquedos, jogos retrôs e eletrônicos, você irá aos poucos montar seu kit pessoal de manutenção (se já não tiver um).

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

A luz desse acessório sai de um LED. E um LED precisa de 3 volts (3 V) para acender. Perceba que esse pequeno canhão de luz está usando duas baterias de 1,5 V cada. Juntas, formam 3 V. Retirei as baterias com o auxílio de uma chave de fenda bem pequena, daquelas que servem também para hastes de óculos, telefones celulares e relógios de pulso. No caso, essas baterias são do modelo LR1130, fáceis de encontrar e produzidas por diversos fabricantes.

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Bastou substituí-las por um par novo para o acessório voltar a acender. A luz vermelha do LED passando pela capinha amarela deu um efeito bacana, de luz alaranjada. É sempre bom ver o modelo de bateria utilizado. Existem diversos. Se eu utilizasse um par de tamanho menor, por exemplo, obviamente a luz não acenderia, pois as baterias ficariam folgadas dentro do acessório.

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

A lanterninha não só voltou a acender como a luz ficou forte com baterias novas. Esse processo de substituição costuma ser fácil, pois geralmente os brinquedos dão acesso fácil às baterias (através de uma portinha independente bem visível ou coisa do tipo). Ou seja, você não precisa desmontar o brinquedo inteiro, somente acessar o compartimento que comporta as pilhas/baterias.

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Agora o acessório está OK. Uma dica importante: remova sempre as baterias se você não for utilizar o brinquedo por um bom tempo. Isso evita o descarregamento.

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

A título de curiosidade, esse simpático acessório é um canhão de luz da linha Police Force, da fabricante Chap Mei. Existe uma versão não-eletrônica desse canhão de luz que não traz LED. É praticamente a mesma coisa, mas sem o LED.

Como vou saber se as baterias são mesmo o problema?

Bom, você pode utilizar qualquer bateria de 3 volts (3 V) para verificar se o LED irá acender ou não, mas é óbvio que você tem que ter certeza de que a bateria de teste está funcionando. É mais provável que a bateria do brinquedo esteja fraca e não o LED queimado. Para testar o LED, basta encostar a perna positiva (perna maior) no polo positivo da bateria, e a perna negativa (perna menor) no polo negativo. Se tudo estiver nos conformes, a luz irá acender.

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Caso você tenha certeza de que suas baterias estão boas, as causas podem ser outras. O negócio é investigar! Abaixo estão algumas outras possíveis causas para uma luz não acender:

– Fiação solta;
– Placas queimadas (no caso de o brinquedo utilizar alguma placa);
– LED quebrado/queimado;
– Excesso de corrosão nas pernas do LED (impede a passagem de energia);
– Excesso de corrosão nos metais que conduzem energia até o LED;
– Botões quebrados que não conseguem empurrar o metal de condução até a perninha do LED;

Nem tudo são flores: acessórios em péssimo estado

Não é a primeira vez que abri um canhão de luz da Chap Mei como esse. Já peguei outro em piores condições, como mostram as fotos abaixo. Nesse caso, além de substituir as baterias, tive que limpar corrosões nos condutores, nos parafusos e nas partes plásticas que ficaram sujas de ferrugem. Olha o estado do acessório!

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

Trocando baterias em action figures e acessórios | Mario Cavalcanti

É isso. Como já dito, manutenção também faz parte da diversão. Investigue sempre! Qualquer dúvida, manda um e-mail ou deixa um comentário aí embaixo.

Carioca, jornalista, empreendedor e nerd. É editor do site RetroBased e proprietário da loja virtual Retro Mall. No YouTube faz resenhas de itens ligados a micros antigos, consoles clássicos e retrogames.

22 de Maio de 2017

Garimpo no mercado de pulgas: Sea Battle da Radio Shack (1993)

No último sábado (20) estive novamente na feira de antiguidades da Praça XV, no Centro do Rio. De vez em quando vou lá garimpar relíquias ligadas a games, consoles e computadores. Dessa vez achei esse carinha aqui, o jogo Sea Battle, da Radio Shack. Ele é de 1993 e é para dois jogadores.

As dimensões aproximadas dele são 25 cm (comprimento) x 16 cm (largura) x 3,5 cm (altura). É mais ou menos do tamanho de um tablet ou um livro. É preciso reparar as telas, mas o restante — botões, sons, LED de power — está funcionando perfeitamente. Apesar de não ver nada, consigo ouvir, por exemplo, o som do tiro. Funciona com duas pilhas do tipo AA. As labels também estão em ótimo estado, nenhuma está solta ou rasgada. O mais legal foi o preço. Consegui resgatá-lo por R$ 5,00 em uma barraca onde predominavam roupas e acessórios femininos.

Nas décadas de 80 e 90 a Radio Shack lançou outros jogos eletrônicos com nomes similares, como o Electronic Sea Battle (no mesmo estilo do Sea Battle, mas com pinos para encaixar e painéis de LED) e o Sonic Sea Battle (minigame com um formato mais vertical, estilo Game Boy). Todos com algum componente eletrônico e todos obviamente com a temática de batalha naval.

Carioca, jornalista, empreendedor e nerd. É editor do site RetroBased e proprietário da loja virtual Retro Mall. No YouTube faz resenhas de itens ligados a micros antigos, consoles clássicos e retrogames.